i gave my life to a simple chord

terça-feira, maio 07, 2002

Moça solteira procura quarto, tratar aqui

Cheguei.

Cheguei na minha casinha, no meu apartamento enorme com banheiro rosa. Cheguei no meu quarto cheio de postais legais colados na parede e com um poster do Memento em cima do colchão e com a minha guitarra atirada no meio dos lençóis que ainda são os mesmos daquele dia e que só serão trocados quando ele vier aqui de novo. Cheguei na minha casa e nem me importei com o cheiro de pizza. Fiquei andando, com os gatinhos em volta fazendo festa (sim, gatos fazem festa), caminhando meio pertinho das paredes e olhando bem pra minha casinha. Não tinha um prego aqui quando a gente mudou. Nada. Oquei, ainda não tem muita coisa, mas o que tem foi estrategicamente colocado com amor e carinho. Achei uma estante no lixo, arrumei e trouxe pra casa. Ganhei um sofá. Roubei um carrinho de supermercado. Enchi as paredes de pôsteres legais. Enfim, enfim, é a minha casa, que eu montei e eu só saio daqui chutada. Literalmente.

Ai, viu.

Minha cabeça dói. Muito.

Minha parede está toda desenhada. Tive um surto marca-território e desatei a desenhar na parede do meu quarto com lápis fosforescentes multicoloridos. O detalhe é que eu não sei desenhar, então só fiz estrelinhas coloridas, um grande coração rosa e notinhas musicais. E pintei os buracos, todos os buracos de durex que o inquilino anterior deixou de presente. Meu quarto está parecendo uma agenda de adolescente.

Putz, isso me fez lembrar que choveu na minha caixa de som. Ela estava cheia d'água. Mas ainda funciona, então tá beleza. Foi a goteira, sabe. Choveu e eu não estava em casa e a caixa de som não sabia sair sozinha debaixo da goteira. Em compensação, minha Patty Pimenteira está linda e toda cheia de folhinhas novas. Achei que ela estaria morta quando eu voltasse, porque ela vinha murchando e perdendo folhas nos últimos dias, mas foi só ficar do lado de fora da janela que já se assanhou toda. Damn these chili peppers.

O Rio, o Pato Fu, tanta coisa. O sono. O corte na minha perna.

Pato Fu é uma banda do caralho. Não sejam babacas preconceituosos como eu fui antes de ver o show e vão ouvir os discos deles. Ainda não sei quais, mas ouçam. Preciso ganhar discos do Pato Fu de aniversário. Preciso ganhar muitos discos de aniversário, me dêem discos, me dêem o Raw Power dos Stooges, vejam a minha wishlist na Amazon e me encham de presentes. Ha ha, santa clara de pau.

Oquei. É o meu aniversário. Livros são baratos e não têm taxa de importação. Vocês ainda não sabem o que me dar. Estão esperando o quê, mesmo? Passar o meu aniversário? EU acho que não. Então vamos logo com isso, molengas.

Ah. Poxa. Eu mereço. Eu sou pobre e meus livros que eu amo tanto estão todos confiscados em Porto Alegre. Sempre corre-se o risco de encontrar alguém bem intencionado e com dinheiro no círculo de amigos, não é? Oh, aceito sugestões, porque fiz a wishlist às 5'30 da manhã, depois de viajar metade do dia em um ônibus de 1950 da viação cometa, que tinha UM INTERRUPTOR na descarga e um BOTÃO NO CHÃO para a torneira da pia. Entendam.

Oquei, eu SEI que ninguém vai me dar nada disso, mas wishlists são legais. E vocês sempre podem procurar em sebos, que são muito mais legais e baratos. Hein? Hein? Que tal?

Já que perdi mesmo a noção da realidade, vocês podem me acompanhar e ir na página da Black Sparrow Press e comprar tudo que encontrarem por lá. Podem inclusive mandar um email sugerindo que eles comecem a publicar autoras brasileiras, prestes a fazer 23 e com cabelo vermelho. Ah é: virei o curupira, esqueci de comentar. Hoje eu fui pintar o cabelo com uma das 2.568.465 tintas que ganhei da família e me confundi e usei uma chamada Rose Red, crente que ia ficar rosa. Agora eu sou um Fiat Lux. Uau, vou pegar fogo. Tsss.

Não, vou é dormir porque já estou passando dos limites. Ora, Fiat Lux. Boa noite. Não, Boa Noite é verde. Ahhh
make it stooooop



.: Clara Averbuck :. 6:11 AM

Acesse os arquivos por aqui:

  • wanna find me?
  • miau?
  • me espalhe, sou uma peste
  • eu leio a bust