i gave my life to a simple chord

segunda-feira, maio 27, 2002

Meu blog é profético. Estou com medo de mim mesma. Reli o mês passado inteiro e notei que simplesmente falei sobre tudo que aconteceria até agora. Que medo. Se bem que isso pode dar uma grana. Posso ser tele-médium. Sabe, aqueles serviços pagos. Vou anotar a idéia, junto com a da manicure, da consertadora de tês e da stripper.

I.
Talvez eu esteja apenas me acostumando. Vai ser muito pior.

II.
E ainda tem meus 02 projetos de tatuagem, que serão concretizados em breve porque alguém vai me dar de aniversário.

III.
Estou feliz. Muito feliz. Mas morro de medo. Medão, porque eu não posso mais apanhar. Isso não significa que eu vá sair correndo. Não eu. Eu, quando tenho medo, vou lá bem pertinho dele e pergunto "colé, colé?", o que pode ser bem perigoso, porque às vezes os medos me cospem no olho, me queimam o pescoço com charutos, me dão veneno pra beber, me fodem. Mas preciso chegar perto, vou fazer o quê? Eu não sei fugir. Não sei e não quero aprender. Fugir é coisa de bundão. Então eu abro os olhos, ofereço o pescoço, bebo o veneno e me deixo foder. Eu não sei fugir.

Mas estou morrendo de medo.

IV.
Ele não está apenas sendo gentil. Mas você não pode com isso agora.

Ah, posso.

Você que sabe. Depois, nem vem reclamar para mim.

Mas é claro que vou.

Você não aprende?

Só quando quero.

Achei que você queria.

Eu quero ele.

Quer saber? Eu também. Foda-se, vai fundo.

V.
Você vai se dar mal de novo.

Azar, pelo menos eu sinto alguma coisa. Não sentir nada é a pior coisa que pode acontecer a um ser humano. Prefiro sentir isso e depois sentir dor do que viver no deserto.

Você está começando a me convencer, sabia?

Me dá aqui a mão. Olha o tumtum tumtum tumtum.

Uau. Parece que vai explodir.

Olha a minha cara. Olha esse sorriso besta. Olha as estrelinhas nos meus olhos.

Mas você acha que vale a pena passar o resto da vida pisoteando o próprio coração?

Não só acho, como estou pronta para pisoteá-lo como se estivesse fazendo vinho. E depois, ainda dou o sangue pra ele beber.

Você me impressiona, garota.

Essas são as vantagens de saber sentir dor.

Você devia dar aulas.

Eu dou.

.
.
.
Madame Clarah prevê seu futuro, faz strip-tease ao som de Nina Simone, manicure e pedicure, cuida de gatos e conserta tês. Preço a combinar.

.: Clara Averbuck :. 8:05 AM

Acesse os arquivos por aqui:

  • wanna find me?
  • miau?
  • me espalhe, sou uma peste
  • eu leio a bust