i gave my life to a simple chord

segunda-feira, abril 22, 2002

Lovin' and touchin'

Não odeio mais tanto assim o dia de hoje, que já virou ontem.

Porque eu vi a minha mãe. Durante uns cinco minutos, eu vi a minha mãe, afofei a minha mãe, abracei e apertei e mexi no cabelo dela e vi a tatuagem dela e damn, eu amo aquela mulher. Amo. Mãe. Se um dia eu for mãe, o que eu acho tão provável quanto virar uma lula, quero ser que nem ela. Mas ela teve que ir embora correndo, senão ia perder o vôo, e ela não segue a tradição da Arte Milenar de Perder Vôos como eu e o meu amigo. Mas valeu. Valeu porque eu estava MORRENDO de saudade dela. Vou dizer, é uma merda muito grande morar longe dos pais. Muito grande.

Talvez isso explique o fato de que eu comprei uma pimenta. Não pimenta de saquinho, néam. Uma pimentinha-planta pra me fazer companhia. Fazia tempo que eu queria uma planta pra botar aqui em casa e achei muito simpática aquela arvorezinha de pimenta (pimenteira?) e decidi que o nome dela será , mesmo que ela não seja uma hortelã.

Tinha parado, mas começou de novo: as duas estão tendo altas conversas aqui dentro. Meu deus, como discutem. E as duas estão reclamando que f. ainda não respondeu. F., façavor, as duas não estão parando aqui dentro. Bate na parede, anda logo, sem desculpas. Enquanto isso, vou ali dormir pra ver se consigo distraí-las com alongamentos do sul da ásia.

Tomara que o taxista tenha pesadelos com japoneses de moto armados com metralhadoras invadindo a casa dele pra buscar meu cd, sinta-se culpado e... devolva no McDonald's? Whatever. Estou caindo de sono, ainda não dormi. É tão forte que estou ouvindo coisas. Socoooorro. Será que tem alguma coisa dentro de mim que ainda esteja funcionando?

.: Clara Averbuck :. 2:52 AM

Acesse os arquivos por aqui:

  • wanna find me?
  • miau?
  • me espalhe, sou uma peste
  • eu leio a bust